NA TARDE DE 19 DE MAIO, TEMAS TÉCNICOS SEGUEM SENDO DISCUTIDOS

Na pauta, fisiologia, qualidade e conservação dos frutos iniciaram o debate

O  alemão, Dr. Moritz Knoche, da Universidade de Hannover abordou a Formação de Frutos, Cutícula e Cera: os fatores associados ao Russeting e sua prevenção.

A saber: O Russeting é caracterizado como um distúrbio fisiológico que forma uma lesão superficial na epiderme – uma espécie de ruga na casca do fruto, o que deprecia a qualidade das maçãs.

Dr. Moritz diz que rachaduras no fruto são grandes problemas, pois dão abertura para fungos e bactérias, além da perda de água. Ele explica que a chuva gera maior presença de umidade e, portanto, maior presença de rachaduras na cutícula. Se a fruta tem uma maior exposição à umidade, no desenvolvimento inicial, isso vai favorecer a ocorrência de russeting.

Com mais de 30 anos de experiência no setor, Moritz sintetizou que:

– Frutas mais jovens são mais sussetíveis ao russeting;

– Se a região é úmida, melhor dar preferência à cultivares mais resistentes ao russeting;

– GA4+7 reduz o husseting. A aplicação causa a diminuição do tamanho da célula, porém aumenta a quantidade, deixando a pele (casca) mais robusta.

– A poda para diminuir a umidade do fruto é uma boa opção.

– Influência de agroquímicos podem causar mudanças locais no crescimento, causando russeting.

– A cavidade da haste apresenta mais russeting por causa do maior acúmulo de água.

Moritz está em Vacaria desde a terça-feira, dia 17 e já esteve conhecendo a realidade dos pomares no município. Seu conselho: “Pode-se aplicar GA e melhorar o microclima, ou então, rezar para diminuir o russeting”.