NO ÚLTIMO DIA DE SEMINÁRIO, PALESTRAS FALAM DE SISTEMAS INTENSIVOS DE PRODUÇÃO

Os moderadores Celso Zancan e José Luiz Petri conduziram os trabalhos na manhã de 20 de maio, no III Seminário Internacional de Fruticultura, realizado na Casa do Povo em Vacaria.

A primeira palestra, conduzida pelo Dr. Michael Blanke, da Universidade de Bonn da Alemanha, abordou o Comportamento de Macieiras sob Diferentes tipos de Telas de Proteção.

Blanke diz que telas reduzem danos por granizo, queimadura do sol, induz menos coloração, já que há menor presença de luz, além de não interferir no diâmetro do fruto e aumentar o diâmetro do tronco.

Blanke afirma que sob as redes há menor transpiração da planta, não altera o tamanho do fruto, diminui a mão de obra com poda, reduz o raleio. “Ao escolher a cor da tela, deve-se levar em consideração o que se busca. Telas pretas duram mais que as brancas, mas propiciam menos coloração” – garante.

O palestrante observa que o ideal seria um sistema de telas retrátil, onde fosse possível cobrir a área apenas nas ameaças de granizo,porém não há um sistema meteorológico eficiente. Blanke pondera que há uma forma de pulverizar micropartículas de potássio nas nuvens, para destruir o granizo quando está presente.

Michael Blanke diz que “em qualquer cor de tela há mais sombra, consecutivamente menor indução floral – menor quantidade de frutos. No raleio químico devem ser reduzidas as concentrações de produto, para não ocorrer raleio excessivo”.