ORGANIZADORES E PARTICIPANTES AVALIAM RESULTADOS DO SEMINÁRIO

Pierre Nicolas Peres

Pierre Nicolas Peres, Presidente da Associação Brasileira de Produtores de Maça – ABPM, avalia o III Seminário Internacional de Fruticultura como excelente. “Foi um evento muito técnico, atual, que nos deu muitos questionamentos sobre o que fazemos, como melhorar as atividades e principalmente baixar os custos. Tudo o que vem sendo falado são perguntas que eu me fazia há muito tempo e esse encontro me deu uma luz. Considero extremamente importante falar de sucessão familiar, por exemplo. Eu avalio como nota 10, pela pertinência dos assuntos abordados”.

 

José Maria Reckziegel

José Maria Reckziegel, Presidente da Associação Gaúcha de Produtores de Maçã – AGAPOMI e integrante da Comissão Organizadora do Seminário sublinha: “O público extremamente qualificado, nos alegra saber que as pessoas que fazem alguma diferença no setor se interessam por novidades e comparecem a eventos como este. A logística eu classificaria como quase perfeita. Houve uma grande organização e participação da comissão, e com o empenho de toda a equipe, considero que fizemos um evento que marca, mais uma vez, o setor da maçã, a categoria da nossa associação.

Zé Maria pontua as palestras com conteúdos focados no negócio e tem a certeza que a maioria dos produtores participantes vão sair deste Seminário com mais perguntas do que respostas. “Esse é o nosso objetivo, o porque deste evento. Fazer com que os técnicos que estão participando pensem e repensem seus negócios.

 

Fabiano Mussatto

Fabiano Mussatto, vice-presidente da Agapomi, organizador do evento, acredita que correu tudo conforme o projetado inicialmente. “Estamos contentes. Os palestrantes e o nível dos temas abordados foram melhores que o previsto. Fomos surpreendidos pela qualidade das palestras, conteúdo e disponibilidade dos palestrantes. O público veio, tivemos mais de 350 inscritos, pessoas participando interessadas, isso é muito gratificante. A sensação é de dever cumprido e agradecer pelo sucesso do evento”.

 

Eliseu Zardo Boeno

Eliseu Zardo Boeno, produtor de maçãs que acompanha o Seminário desde a primeira edição, diz que este evento é muito importante e que vai muito além do costume popular. “Desde as primeiras palestras, a questão da sucessão familiar – isso foi muito importante, pois já nos faz pensar e preparar para ter para quem deixar nosso negócio. Temas como clima e novas técnicas para se aplicar no pomar, eu vejo que quem participou vai saber como aproveitar e quem não veio, perdeu uma grande oportunidade de conhecimento. Lógico se tivéssemos de sair daqui para conhecer pomares do mundo inteiro, o custo seria elevado demais, então esta rica e singular participação neste seminário nos faz sair daqui e pensar em por em prática o quanto antes, tudo o que aprendemos”.

 

Geraldo Carvalho

Geraldo Carvalho, expositor entende que é gratificante participar de eventos deste nível, que busca trazer novas tecnologias para o setor da maçã como um todo. “Nossa empresa vê este setor com um potencial muito forte e por isso tratamos com muito carinho, além de ser importante estar por dentro das tendências e podermos colaborar com as inovações, estando ao lado do produtor, atendendo as suas necessidades”.

 

Elaine Damiani Conte

Para a Professora do Curso de Agronomia da UCS, Elaine Damiani Conte, o evento atendeu as expectativas. Percebi que os estudantes estão gostando das palestras, comentando as novidades e isso atinge o objetivo do evento que é tentar alavancar cada vez mais a fruticultura da nossa região.

 

Guilherme Fontaneli Sander

Guilherme Fontaneli Sander, estudante de Doutorado pela UDESC, observa o evento com temas bastante abrangentes, com novas tecnologias que são muito presentes na situação real da região sul. “Com toda a diferença entre as regiões apresentadas pelos palestrantes com a realidade que vivemos aqui, ainda assim acredito que muita coisa se pode utilizar. As pesquisas expostas aqui trazem tecnologias que podemos aplicar”.

 

Andrea de Rossi Rufato

Para a pesquisadora e organizadora do evento, Dra. Andrea de Rossi Rufato, o nível está bem elevado em termos de qualidade de palestrantes. “Nas diversas áreas que tratamos no seminário, foram escolhidas pessoas, técnicos, pesquisadores renomados em nível internacional, que trouxeram, como pudemos ver, inovações muito interessantes, que os produtores brasileiros vão começar adotar a partir deste evento.

 

Rosa Maria Valdebenito Sanhueza

A também Dra. Pesquisadora e integrante da organização, Rosa Maria Valdebenito Sanhueza, considera que “as inovações apresentadas, desenvolvidas em países com condições diferentes das nossas, nos dá muita informação – o que é a base para podermos inovar. Estamos dando ferramentas para os técnicos para que validem as melhores tecnologias e apliquem aqui no Brasil. O fundamental é abrir a mente das pessoas, com informações técnicas para que eles consigam aproveitar e implementar ao máximo, melhorando seus sistemas de plantio”.

 

Alberto Dorigoni e Leandro Bortoluz

Leandro Bortoluz, um dos idealizadores deste evento afirma: “Era tudo o que eu sonhava, com certeza! Mais uma etapa realizada, agradecido pela confiança de todos, da equipe organizadora, patrocinadores, expositores, participantes em geral. Todo o crédito é pouco, pois confiaram neste evento. Com a vinda de pessoas de fora, como as que estiveram aqui, os mais renomados nomes descritos nas pesquisas de diversos países, dando a oportunidade ímpar de trocar experiências, aumentar a nossa rede de conhecimento e de relacionamento, fazendo com que a gente possa abrir portas para novos negócios, isso significa muito para o setor e é um ganho imenso para o produtor. E nós estamos junto, contribuindo para a pesquisa do produtor e apoiando sempre. Graças a eles este evento aconteceu. E a todos o nosso agradecimento.

 

O Seminário Internacional de Fruticultura acontece de três em três anos. Sua quarta edição,  acontecerá em 2019.